Endurance e nutrição: entenda sua relação

Endurance e nutrição: entenda sua relação

Vamos falar um pouco de endurance. Hoje tem-se falado muito a respeito de atividades classificadas como endurance, mas o que seria? Quais os benefícios? O que comer para ter o máximo de performance nessas modalidades?
A seguir, o Nutricionista Diego Xaulim irá falar um pouco sobre e esclarecer alguns pontos sobre o assunto. Então, bora!

O que é endurance?

Endurance, de uma maneira bem simples, é o nome dado a uma atividade mantida por um período longo de tempo, de maneira mais “fácil”, de menor intensidade… Por esta definição, fica uma brecha para ter um “achismo” ou empirismo do que é ou não endurance, mas algumas metodologias definem endurance, mais precisamente, como atividade que ultrapassa a duração de 80 ou 100 minutos.

Quais são os benefícios de fazer endurance?

O maior beneficio do endurance será sempre o de ser acessível a qualquer população. Por mais sombria que possa soar a palavra, o endurance é acessível a qualquer pessoa, pois é uma atividade de baixa intensidade (sempre pensando na capacidade individual) que a pessoa consegue fazer por um tempo maior.

Quais são as principais atividades consideradas de endurance?

Os esportes de endurance mais praticados hoje em dia, no Brasil, são: corrida, ciclismo, triatlo, travessia aquática, corrida de aventura… e a lista segue, sabendo que há outros mais comuns em outros países, como o sky cross-country, no qual os atletas percorrem variadas distâncias com esquis e impulsionados por bastões.

E aí, muita gente se pergunta: “O que comer dentro dessas atividades?”
Veja a seguir.

Nutrição no endurance: O que comer nessas atividades?

A resposta é muito mais simples do que parece, claro que temos sempre que saber alguns pontos primeiro:

  • 1. Qual intuito da atividade?
  • 2. Qual a capacidade do atleta em realizar a atividade?
  • 3. A pessoa visa performance?
  • 4. A pessoa visa a perda de peso?

A resposta a essas perguntas nos dará o norte para qual tipo de alimentação, e se necessário, de suplementação que iremos usar. E algo muito interessante aqui: todas as pessoas podem suplementar, e o melhor de tudo, comer de tudo, porque dentro da atividade de endurance é muito permissivo se alimentar de praticamente tudo, desde que não lhe faça mal, podendo ser: frutas em geral, paçoquinha, bananinha, pizza, pães, salgadinhos… a lista é grande, pois o gasto calórico é alto, então esses alimentos não serão ruins se ingeridos, mesmo em grande quantidade! (Agora animou mais né?)
O excesso não faria mal, mas o que muita gente erra é justamente “no comer de menos”, por não conhecer os alimentos, não saber do gasto calórico. Há uma certa cultura errônea de que esse ou aquele alimento vai te fazer mal…
E aí o que acontece com esse “comer de menos”? Logo o rendimento vai cair, e você precisará se ausentar das atividades! É preciso repor essas calorias, sempre, tanto na forma de suplementação como alimentação, sem medo, sem neuras…

A atividade física, o endurance, só tem benefícios, não se prenda ao empirismo e corra (pode ser literalmente) para melhorar sua saúde!

Escrito por Diego Xaulim
Diego Xaulim é formado em Nutrição pela Universidade de Ribeirão Preto.
Ex nadador profissional e triatleta amador

6 Responses

Add a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *